MÁGICO BARCELOS

OCB SEMPRE! O ORGULHO DE BARCELOS!

sexta-feira, julho 21, 2006

Italianos perdem contra Suíços e defrontam Portugal no jogo de 3º e 4º

Acaba de se saber que a Itália perdeu 5-3 contra a Suíça, equipa goleada por Portugal (7-0) na fase de grupos. E depois de ter assistido à forma como este Europeu foi organizado, não posso negar a surpresa que é este resultado, mas também um sentimento estranho e difícil de descrever.

Aqueles que assistiram a este Europeu puderam observar desde o início a todo o tipo de manobras. Ao contrário do que acontece em desportos como o futebol, em que as grandes competições são organizadas pelos organismos do desporto no que toca a regras e calendários e os países anfitriões apenas colaboram no resto, no hóquei em patins passa-se o inverso. A CERH (Comité Europeu de Hóquei em Patins) autoriza e o país anfitrião faz como quer. Vergonhoso; isto permite que uma organização faça o que fez. (Nem sequer me quero questionar se o facto de o último dos 2 únicos títulos europeus da Itália ter sido ganho em Lodi, Itália em 1990 será apenas uma coincidência tendo em conta o que se passou este ano. A minha memória não se estende até esses tempos.)
Mas seja como for, o que sei é que este torneio começa mal quando se vê a forma como é organizado. Desde o sistema ridículo, já mais que comentado, em que de 9 equipas, 8 passam a fase seguinte, o que permitiu a equipas como a Áustria que perdeu com a Alemanha por 5-3 e com a Itália por 4-0 (já falaremos disso) sejam apuradas para a fase seguinte, para depois serem cilindradas por 24-0 (vinte e quatro - zero) por Portugal.
Depois podemos reparar nas equipas sorteadas. Portugal fica com Andorra, que tem muitos jogadores a disputaram uma liga catalã competitiva e a Suíça, quarta classificada em 2004 e como agora se vê, finalista do Europeu. A Espanha apanha a França, quarta classificada em 2000 e 2002, e que ainda dá luta, a Espanha conseguindo apenas vencer por 4-2. A Itália, por seu lado, apanha Alemanha e Áustria. O primeiro mostra-se fácil (7-1), o segundo apenas demonstra o seu "verdadeiro valor" quando é derrotado por 24 golos contra Portugal.
Depois, a Itália tem a sorte também, de ser a última a jogar dos 3 favoritos (juntamente com Espanha e Portugal), podendo jogar para o resultado que lhe interessava, ganhando 4-0 para evitar a Espanha nas meias-finais, e estando 18 minutos sem rematar frente à Áustria. Anti-jogo no seu melhor e a Itália, a cujos jogadores foi dito para não marcarem mais depois do 4-0, a aproveitar as condições oferecidas por quem a queria colocar na Final sem ter de trabalhar.
Os quartos de final decorrem com normalidade. Refiro-me, claro, à normalidade e à facilidade que foi provar a farsa que aconteceu no dia anterior, com Portugal a marcar mais 20 golos à Áustria que a Itália. Estou para ver se estas diferenças entre portugueses e italianos se confirmam amanhã. Se alguém ainda tinha dúvidas, tiradas elas ficaram.
Nas meias finais, o feitiço vira-se contra o feiticeiro e os italianos são derrotados. Que isto seja a derrota de toda a farsa que foi esta organização e que sirva de lição para toda a gente no hóquei em patins. Quem sabe se ao jogar com a Espanha os italianos não teriam passado. Não vale a pena tentar levar ninguém ao colo; no final ganha quem merece e se se não valor para estar na final, então não se chega lá.

Em jeito de conclusão, pergunto-me se neste jogo com a Suíça, não terá sido dito aos italianos, tal como foi contra a Áustria (para o 4-0), se ao perderem evitariam a Espanha? Talvez esteja aí a explicação para a derrota... Assim, está evitada a Espanha. Esperemos que o jogo de amanhã para o 3º lugar dignifique a modalidade e compense o que foi este europeu.

Portugal - Itália às 17.30 com transmissão provável na 2:

Final:

Suíça - Espanha às 20.30